Tag

deputado

Exibindo

Deputado ainda fará parte das Comissão de Saúde e CRIAI, além da vice-presidência da CCJ

Depois de ter sido eleito vice-presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), o deputado Marcio Pacheco (PDT) foi escolhido para ser o novo presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, uma das mais importante da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).
Além dessas duas importantes conquistas, o parlamentar também foi eleito para integrar a Comissão de Orçamento, a Comissão de Saúde e a Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (CRIAI).
Formada por sete membros, a Comissão de Defesa do Consumidor tem a competência de se manifestar sobre toda e qualquer proposição relacionada à defesa do consumidor, bem como receber, avaliar e investigar denúncias relativas à violação dos direitos do consumidor.
O objetivo da Comissão é promover a eficácia na proteção dos interesses econômicos do consumidor, no que tange à maior eficiência dos serviços do produtor ou prestador de serviço, melhorando a interação e respeito, bem como a proteção de práticas abusivas cometidas nas relações entre comerciantes e consumidores, assegurando assim direitos destes últimos.
“O direito do consumidor está implícito na Constituição Federal e é um direito fundamental de todo cidadão, que legitimamente deseja ser bem atendido e adquirir serviços e produtos de qualidade. Todas as queixas da população irão merecer uma atenção especial por parte da Comissão”, afirma Pacheco.
Ele também ressalta a importância da Comissão. “As relações de consumo entre comerciantes e consumidores atingem toda a população. É uma oportunidade de se consolidar a cidadania econômica entre as partes envolvidas”, frisa.
A Comissão de Defesa do Consumidor deve ganhar ainda mais relevância neste ano. Ocorre que o atual presidente da Casa Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), já manifestou a intenção de levar uma sede do Procon para dentro da Alep.
Traiano manifestou esse compromisso no início de fevereiro, logo após ser eleito novamente presidente da Assembleia Legislativa. A instalação de todas as comissões permanentes e a posse dos seus respectivos presidentes e integrantes devem ocorrer ainda nessa semana.
Na semana passada, Pacheco já havia sido eleito o vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante Comissão permanente da Alep. Pela CCJ, presidida pelo deputado Fernando Francischini (PSL), passam todos os projetos protocolados na Casa de Leis.

 

Foto: Sandro Nascimento/ALEP

O deputado Marcio Pacheco assumiu na última sexta-feira (01) o seu segundo mandato consecutivo na Assembleia Legislativa do Paraná. Nas eleições de outubro do ano passado, Pacheco foi eleito com 39.323 votos, aumentando em 14.468 votos em relação a primeira eleição a deputado estadual em 2014, quando obteve 24.855 votos. O deputado garantiu que continuará com o seu trabalho sério e transparente em defesa da população paranaense, priorizando os investimentos que atingem diretamente a vida dos cidadãos, como educação, saúde e segurança pública de qualidade.

Com a presença da família, amigos e apoiadores, Pacheco falou sobre o novo mandato. “É um momento muito feliz e também um momento de agradecer aos eleitores que me deram uma votação expressiva, em especial em Cascavel e na região oeste. Por isso, vamos continuar com o nosso trabalho sério, defendendo os interesses da população paranaense”, afirma o parlamentar. 

Além de atuar nas áreas prioritárias, em especial a educação de qualidade, a inclusão de pessoas com deficiência e a continuidade da luta em defesa do autismo, o deputado pretende viabilizar e acelerar projetos voltados ao desenvolvimento da infraestrutura dos municípios. 

O deputado ainda manterá a posição firme em defesa da vida e da família. “A minha vida tem sido guiada por princípios cristãos e vou seguir esse posicionamento claro em favor da vida e da família”, frisa Pacheco, que garantiu transparência total do mandato. 

A sessão solene de posse dos deputados e deputadas eleitas em outubro de 2018 marcou a instalação da 19ª Legislatura. O evento foi bastante concorrido, com a presença do governador do Paraná, Ratinho Júnior. O deputado Ademar Traiano (PSDB) comandou a sessão solene.

Na oportunidade, os 54 eleitos assumiram o compromisso de defender e cumprir as Constituições Federal e Estadual. O mandato é de quatro anos e vai de 1º de fevereiro deste ano até 31 de janeiro de 2023. Pacheco inicia o segundo mandato também com um novo rumo partidário. Conforme foi anunciado no fim do ano passado, Pacheco está prestes a ingressar no PDT.

Um dos motivos dessa mudança de sigla é a fusão do PPL com o PCdoB, partidos que não atingiram a cláusula de barreiras no pleito de outubro de 2018. “O ingresso no PDT marca o início de novos tempos e espero contribuir muito com a reestruturação do partido em Cascavel e em todo o Estado do Paraná”, afirma.

Primeiro mandato

Em seu primeiro mandato, Marcio Pacheco foi um dos dez deputados mais atuantes na Assembleia Legislativa do Paraná. Foram mais de 70 projetos de leis apresentados, sendo que, deste total, 20 se tornaram leis no Paraná. Dentre elas a que obriga o preso a pagar pelo uso de tornozeleira eletrônica e a que institui o censo quadrienal para as pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Aliás, Pacheco irá cobrar em seu segundo mandato a efetivação dessas leis junto ao Governo do Estado.  

No Plenário, Pacheco manteve posição firme e crítica em relação aos casos de corrupção envolvendo o pedágio e, sobretudo, aos desmandos do Governo Beto Richa.

Deputado Pacheco faz juramento durante Sessão Solene de posse

 

Em reunião realizada no dia 16, o Partido Pátria Livre (PPL) decidiu, por aclamação, apoiar as pré-candidaturas do professor Jorge Bernardi (REDE) ao Governo do Estado e Flávio Arns (Rede) para o Senado. Nas negociações entre os dois partidos, também se construiu as pré-candidaturas de dois cascavelenses nas chapas de governador e senador.

O advogado e ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Subseção de Cascavel, Juliano Murbach (PPL), é o indicado para a disputa como vice-governador na chapa de Jorge Bernardi, enquanto o empresário e ex-presidente da Apae, Vilson Basso (Rede), foi indicado como primeiro suplente de Flavio Arns.

A direção do PPL também aprovou, por unanimidade, durante a reunião a aliança nas coligações proporcionais (deputado federal e deputado estadual) com a Rede e o Democracia Cristã (DC), o antigo Partido Social Democrata Cristão (PSDC). Como segundo candidato a senador da chapa, a direção do DC já indicou o nome do advogado, empresário e professor Luiz Adão – neste ano o Paraná irá eleger dois senadores.

De acordo com o presidente estadual do PPL deputado Marcio Pacheco, todas as decisões tomadas na reunião do dia 16 de julho, serão discutidas e ratificadas na Convenção Estadual que o partido promoverá no dia 26 de julho, na Câmara Municipal de Cascavel, a partir das 19h30.

Na oportunidade, os filiados do Partido Pátria Livre irão deliberar sobre as coligações e os nomes dos candidatos a deputado estadual e deputado federal e senador para disputar as eleições de 7 de outubro. Para Pacheco, que é pré-candidato à reeleição de deputado estadual, a opção pelo Professor Jorge Bernardi se deu em razão das propostas do pré-candidato.

“O Professor Jorge Bernardi é um homem de sensibilidade, seriedade, e é uma alternativa bastante viável para disputar o pleito deste ano, pois tem qualidade técnica e experiência para governar o Paraná. Além disso, ele prega e pratica a nova política e as posturas defendidas pelo PPL e pela sociedade paranaense e brasileira com ética e transparência”, frisa Pacheco.

Atualmente, o PPL tem apenas um representante na Assembleia Legislativa do Paraná: O deputado Marcio Pacheco.

 

Oeste do Paraná será representado por Pacheco, Murbach e Basso.

Perfis dos pré-candidatos do PPL e Rede

 

Marcio Pacheco

Marcio Pacheco tem 41 anos. Mora em Cascavel desde 1997. É Policial Federal desde 2007 e atualmente está licenciado da função para exercer o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná. Em 2003, Pacheco formou-se professor de português e inglês e português pela Unioeste. Em 1997, entrou na Polícia Militar, onde permaneceu por mais de dez anos, atuando em Cascavel e Corbélia.

Em 2012, foi eleito vereador pelo PPL, com 1.412 votos. Em 2013, ele foi eleito presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel. Em 2014, elegeu-se deputado estadual, com 24.855 votos. Em 2016, foi candidato a prefeito de Cascavel, obtendo o segundo lugar com 56.260 votos.

 

Flavio Arns

Sobrinho de Zilda Arns, Flavio Arns tem se destacada por sua militância na promoção social e na luta por direitos das pessoas com deficiência. Já foi deputado federal, senador, vice-governador e secretário de Estado. Atualmente está sem mandato. Elegeu-se senador em 2002, derrotando o ex-governador Paulo Pimentel. Numa eleição tão disputada como se espera em 2018, Flavio Arns quer correr por fora.

 

Jorge Bernardi

Vice-Reitor do Centro Universitário Internacional, professor de Gestão Pública, já teve mais de 60 mil alunos em todo o Brasil, onde já formou cerca de 22 mil Gestores Públicos. É doutor, mestre  e especialista em Gestão Urbana, com vários livros publicados, entre os quais: A Organização Municipal e a Política Urbana (3ª edição, 50 mil exemplares), O Processo Legislativo Brasileiro (2ª edição, 38 mil exemplares), Gestão de Serviços Públicos Municipais. Na política, foi vereador por sete vezes em Curitiba. Em 2016, foi candidato a vice-prefeito de Curitiba, na chapa de Requião Filho.

 

Juliano Murbach

Juliano Murbach tem 44 anos, graduado em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Após a formatura, em 1996, voltou para o Oeste para advogar, lecionar em faculdades de direito e ficar próximo da família. Casado e pai de três filhos, Murbach presidiu a OAB subseção Cascavel por três anos, de (2010- 2012). Em 2016, foi candidato a vice-prefeito de Cascavel na chapa com o deputado Marcio Pacheco.

 

 

Com as participações do pré-candidato a Presidente da República, João Goulart Filho e os pré-candidatos ao governo do Estado, Osmar Dias (PDT) e Ratinho Júnior (PSD), o PPL (Partido Pátria Livre) realizou no último sábado (19) na Univel, em Cascavel, encontro estadual para divulgar os pré-candidatos do partido para deputado federal e deputado estadual nas eleições 2018. O presidente estadual do PPL, deputado Marcio Pacheco, classifica o evento com um sucesso.

“Sem dúvida, saímos desse encontro estadual com o sentimento de dever cumprido e muito mais fortes para as eleições deste ano com os nossos pré-candidatos que irão enfrentar as urnas neste ano”, afirma Pacheco, que cumpre o seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Paraná.

Para ele, o evento foi um momento de congratulação e de fortalecimento da união do partido, que começa a se organizar para estruturar as chapas proporcionais para deputados estaduais e federais, bem como discutir sobre as pré-candidaturas a governo e senado.

Pacheco não tem dúvida que os militantes e os pré-candidatos do PPL saíram “fortalecidos e renovados em esperança de que é possível fazer uma política diferente e um Brasil melhor com propostas sólidas”.

Por fim, o líder do PPL agradeceu a presença do pré-candidato à Presidência da República, João Goulart Filho e também dos pré-candidatos a governador Osmar Dias e Ratinho Junior, assim como os pré-candidatos a deputado federal e estadual e das centenas de lideranças que vieram de todo Estado para prestigiar o evento, que reuniu mais de 150 pessoas de diversas regiões do Estado.

João Goulart Filho

Após a apresentação do deputado Pacheco, o primeiro discurso foi feito pelo pré-candidato a Presidente da República pelo PPL, João Goulart Filho, que é filho do ex-presidente João Goulart desposto pelo golpe militar em 1964.João Goulart Filho disputa pela primeira vez à Presidência da República.

Durante o seu discurso inflamado aos militantes, ele tratou desde os caminhos para o fortalecimento da economia, o processo de privatização até o atual momento político nacional. “Vivemos um momento de grave crise política, econômica e moral, onde o País sofre com a miséria, a desindustrialização, a devastação dos serviços públicos, a insegurança pública e o mais lastimável espetáculo de decadência moral”, afirma.

Ele conclamou a militância do PPL para “servirem de mensageiros das mudanças que o País precisa”. O pré-candidato à Presidência também fez sérias críticas ao sistema de pagamento da dívida pública, a qual, segundo ele, consome bilhões de reais mensais só para atender aos interesses do sistema financeiro.

Por fim, João Goulart Filho agradeceu ao PPL por ter aberto, no ano passado, as portas depois que deixou o PDT, onde estava filiado há 37 anos. “O programa do Partido Pátria Livre me trouxe a esperança de lutar pelas reformas e pelo legado do meu pai quando era presidente da República”.

Osmar Dias

O pré-candidato ao governo do Estado, Osmar Dias, foi o segundo convidado a discursar. Durante a sua fala, o líder do PDT voltou a reafirmar que é “candidatíssimo” ao governo e se posicionou como oposição as duas pré-candidaturas da atual governadora Cida Borghetti (PP) e Ratinho Junior.

Para Osmar Dias, as pré-candidaturas de Cida e Ratinho representam a continuidade do governo Beto Richa, mergulhado em escândalos de corrupção.

Osmar dias. O pedetista pediu apoio do PPL para o arco de alianças que o PDT está construído em torno da sua pré-candidatura a governador.

“Eu quero ter apoio do PPL, que espelha a política moderna e joga na lata de lixo esse modelo vigente, o qual se baseia no loteamento do Estado. Por isso, eu digo para quem quer me apoiar não venha me pedir para lotear o governo”, avisou.

Osmar Dias agradeceu ao convite do deputado Pacheco e elogiou a iniciativa do líder do PPL. “O deputado Pacheco é um nome limpo para voos mais altos na política, pois tem muito futuro. Se fosse para escolher um perfil de deputado na Assembleia Legislativa, esse perfil é do Marcio Pacheco”, finalizou.

Ratinho Junior

O terceiro convidado a discursar foi o pré-candidato ao governo Ratinho Junior, que também agradeceu ao convite do deputado Pacheco e pediu apoio do PPL em sua caminhada ao Palácio do Iguaçu. Em seu discurso curto, Ratinho Junior enfatizou a necessidade de romper com o atual sistema político, o qual, segundo ele, está falido.

Ele também reafirmou como sua principal bandeira a diminuição do Estado. “Quanto melhor o Estado se meter na vida das pessoas, melhor”. A pré-candidata Cida Borghetti desistiu de participar do evento, alegando mau tempo para seguir viagem de avião de Curitiba para Cascavel.