Tag

cascavel

Exibindo

A Assembleia Legislativa do Paraná prestou uma homenagem aos 40 anos da fundação da TV Tarobá, com sede em Cascavel. Os deputados aprovaram um requerimento de Moção de Louvor e Aplausos à emissora cascavelense. A iniciativa partiu do deputado Marcio Pacheco, que usou a palavra na Tribuna da Assembleia, na sessão de hoje (6), para ressaltar a relevância da TV Tarobá em todo o Estado do Paraná.
“Dentre os vários veículos de comunicação importantes em Cascavel é um orgulho prestar essa homenagem à TV Tarobá, que está completando 40 anos de fundação, tornando a mais antiga afiliada da Rede Bandeirantes de Televisão”, afirma o deputado.
De acordo com ele, a emissora se consolidou no Paraná graças a confiança, a credibilidade e a inovação no jornalismo e também na produção de programas locais e regionais. Durante sua fala, Pacheco fez um breve resumo da trajetória da emissora cascavelense, que conseguiu se destacar tanto no cenário estadual quanto nacional.
“Hoje a emissora é uma referência para o Paraná. Por isso, quero parabenizar a todos aqueles que fizeram parte ou fazem parte da TV Tarobá, que é líder de audiência em Cascavel e em todo o Estado”, finalizou.

História

A emissora foi fundada em 1º de fevereiro de 1979 pelo jornalista João Milanez.
Em 1982, o jornalista João Milanez associou-se aos empresários Pedro Muffato (Grupo Muffatão), Tito Muffato e Hermínio Vieira (Grupo Super Muffato), proporcionando novos rumos.
Hoje a TV Tarobá pertence ao Grupo Muffato, que tem como sócios-proprietários Reni Muffato, e os filhos Ederson, Everton e Eduardo Muffato. Atualmente, o Grupo Tarobá reúne vários negócios na área de comunicação, com uma sucursal em Foz do Iguaçu (criada em 1981) e outra em Londrina (fundada em 1996).
Em novembro de 2010 a Rádio Tarobá FM se somou ao Grupo Tarobá, passando a fazer parte das emissoras já consolidadas. A empresa se destaca tanto na TV quanto no rádio pela produção de mais de 18 programas locais em cada uma de suas praças.
Entre os principais programas da Tarobá destacam-se ‘‘Vitrine Revista’’, apresentado por Daniela Lenzi, “Atualidades”, apresentado por Olga Bongiovanni, o ‘‘Jogo Aberto’’, apresentado por Caio Gottlieb e o “Ponto de Vista”, apresentado por Paulo Martins.
A TV Tarobá opera por canal aberto, fechado e via satélite, permitindo maior alcance e cobertura em mais de 197 munícipios do Paraná. Presente também na internet, leva o conteúdo local através do site e das redes sociais.
Foi uma das primeiras emissoras do Sul do Brasil a utilizar cenários virtuais e a disponibilizar sua programação em HD (High Definition), gerando melhor qualidade de áudio e vídeo.

 

Pronunciamento enalteceu os 40 anos de atividade da TV Tarobá

 

Para assistir o pronunciamento clique aqui

A noite de ontem 12/12 foi marco de verdadeiras mudanças na política paranaense. Com a presença de lideranças do Partido Democrático Trabalhista, em um evento que reuniu cerca de 400 pessoas, o deputado estadual Marcio Pacheco anunciou sua decisão por filiação no PDT 12.

        O ingresso de Pacheco no PDT é um marco de destacada importância na história do partido, que vive um momento de mudanças estruturais. “O deputado Pacheco terá um papel fundamental nesse novo modelo que vamos implantar no Paraná e que será modelo para o Brasil. Temos o compromisso do Diretório Nacional do PDT com esse novo momento no Paraná e com nossa participação nos grandes debates do País”, disse o Presidente Estadual do partido, André Menegotto.

Ex-deputado Federal constituinte, Nelton Friedrich falou da importância de oxigenar as estruturas do PDT com gente nova e competente. Para Friedrich, Pacheco será muito importante na reformulação do partido. Queremos um Brasil não apenas como simples exportador de matéria-prima, mas que passe a ser uma potência mundial, fazendo o beneficiamento de minérios aqui mesmo, fortalecendo a indústria nacional possibilitando um país melhor para os brasileiros. 

O Presidente do PDT de Cascavel, Cláudio Bodanese, de maneira bem objetiva, declarou reconhecer em Pacheco o perfil dedicado e altruísta que o partido precisa para um projeto municipalista, visando 2020. 

O suplente do Senador Flávio Arns, o cascavelense Vilson Basso, em um discurso forte, declarou sua admiração pela horizontalidade da postura de Pacheco. “Durante a última campanha, circulamos pelo Estado todo. Convivi com Pacheco e percebi seu comprometimento com as causas coletivas e o bem maior da população do Paraná”. 

Pacheco falou por cerca de 12 minutos e disse que está muito feliz por com esse novo momento da sua vida. Disse que depois de 7 anos no PPL, o ingresso no PDT marca o início de novos tempos na sua trajetória política. No PPL, Pacheco foi eleito vereador, Presidente da Câmara de Cascavel, deputado Estadual e tornou-se presidente estadual da sigla. Viu-se agora forçado a deixar o Partido por ocasião da não superação da cláusula de desempenho e consequente incorporação ao PCdoB. “Após muita reflexão, oração e conselhos de amigos, venho para o PDT com grande alegria e uma expectativa muito positiva. Tive a honra de ser convidado pessoalmente e acolhido pelos Presidentes dos diretórios nacional, estadual e municipal. Essa demonstração de respeito e aval de todos os dirigentes do PDT para contribuir com a coordenação da reestruturação do Partido na Região Oeste e também ajudar em todo Estado foi fundamental para essa decisão”, frisou Pacheco sobre a conjuntura partidária.

Pacheco ainda discorreu sobre seu ótimo relacionamento com os Deputados Estaduais eleitos pelo PDT, Nelson Luersen e Goura, bem como com o ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, que foi eleito Deputado Federal em 2018 e é a maior referência do Partido no Estado, sendo por isso o mais indicado para assumir a presidência da sigla em âmbito estadual.

Sobre o próximo pleito municipal em 2020, Pacheco afirmou que a decisão está “Longe de Pretensões pessoais. Nunca foi e nunca será uma inciativa com foco pessoal. Mas se eu sentir no meu coração que essa é uma vontade de Deus na minha vida e eu sentir que há de fato um desejo dos cascavelenses, eu estarei à disposição para ser candidato e para servir a nossa cidade”. E conclamou: “Vamos juntos, construir uma linda história, com coisas bonitas pra contar em Cascavel e onde mais Deus nos levar”.

        Antes do evento, em entrevistas de rádio, ao ser questionado sobre sua filiação ao PDT e se isso significa uma aproximação com Edgar Bueno, Pacheco foi categórico em negar a caminhar com o ex-prefeito. “A possibilidade de alinhamento com o Edgar Bueno para as eleições de 2020 é zero. Temos grupos e posturas políticas inconciliáveis”.

Também estiveram presentes os vereadores de Cascavel, Fernando Hallberg e Serginho Ribeiro. Por vídeo, os presentes puderam acompanhar as falas do ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e dos deputados Goura e Nelson Luersen.

O PDT

O partido que disputou a última eleição presidencial, tendo Ciro Gomes como candidato e viu Osmar Dias abandonar, na última hora a disputa pela cadeira no Palácio Iguaçu, independente dos reveses cresceu – e muito; foi o segundo Partido que mais cresceu em representatividade no Congresso Nacional: o PDT contará com 28 Deputados Federais, atualmente são 21. Na Assembleia Legislativa do Paraná o PDT ocupará 3 cadeiras na próxima legislatura, atualmente apenas uma.

 

Mais fotos no FlickR

Em reunião realizada no dia 16, o Partido Pátria Livre (PPL) decidiu, por aclamação, apoiar as pré-candidaturas do professor Jorge Bernardi (REDE) ao Governo do Estado e Flávio Arns (Rede) para o Senado. Nas negociações entre os dois partidos, também se construiu as pré-candidaturas de dois cascavelenses nas chapas de governador e senador.

O advogado e ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Subseção de Cascavel, Juliano Murbach (PPL), é o indicado para a disputa como vice-governador na chapa de Jorge Bernardi, enquanto o empresário e ex-presidente da Apae, Vilson Basso (Rede), foi indicado como primeiro suplente de Flavio Arns.

A direção do PPL também aprovou, por unanimidade, durante a reunião a aliança nas coligações proporcionais (deputado federal e deputado estadual) com a Rede e o Democracia Cristã (DC), o antigo Partido Social Democrata Cristão (PSDC). Como segundo candidato a senador da chapa, a direção do DC já indicou o nome do advogado, empresário e professor Luiz Adão – neste ano o Paraná irá eleger dois senadores.

De acordo com o presidente estadual do PPL deputado Marcio Pacheco, todas as decisões tomadas na reunião do dia 16 de julho, serão discutidas e ratificadas na Convenção Estadual que o partido promoverá no dia 26 de julho, na Câmara Municipal de Cascavel, a partir das 19h30.

Na oportunidade, os filiados do Partido Pátria Livre irão deliberar sobre as coligações e os nomes dos candidatos a deputado estadual e deputado federal e senador para disputar as eleições de 7 de outubro. Para Pacheco, que é pré-candidato à reeleição de deputado estadual, a opção pelo Professor Jorge Bernardi se deu em razão das propostas do pré-candidato.

“O Professor Jorge Bernardi é um homem de sensibilidade, seriedade, e é uma alternativa bastante viável para disputar o pleito deste ano, pois tem qualidade técnica e experiência para governar o Paraná. Além disso, ele prega e pratica a nova política e as posturas defendidas pelo PPL e pela sociedade paranaense e brasileira com ética e transparência”, frisa Pacheco.

Atualmente, o PPL tem apenas um representante na Assembleia Legislativa do Paraná: O deputado Marcio Pacheco.

 

Oeste do Paraná será representado por Pacheco, Murbach e Basso.

Perfis dos pré-candidatos do PPL e Rede

 

Marcio Pacheco

Marcio Pacheco tem 41 anos. Mora em Cascavel desde 1997. É Policial Federal desde 2007 e atualmente está licenciado da função para exercer o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná. Em 2003, Pacheco formou-se professor de português e inglês e português pela Unioeste. Em 1997, entrou na Polícia Militar, onde permaneceu por mais de dez anos, atuando em Cascavel e Corbélia.

Em 2012, foi eleito vereador pelo PPL, com 1.412 votos. Em 2013, ele foi eleito presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel. Em 2014, elegeu-se deputado estadual, com 24.855 votos. Em 2016, foi candidato a prefeito de Cascavel, obtendo o segundo lugar com 56.260 votos.

 

Flavio Arns

Sobrinho de Zilda Arns, Flavio Arns tem se destacada por sua militância na promoção social e na luta por direitos das pessoas com deficiência. Já foi deputado federal, senador, vice-governador e secretário de Estado. Atualmente está sem mandato. Elegeu-se senador em 2002, derrotando o ex-governador Paulo Pimentel. Numa eleição tão disputada como se espera em 2018, Flavio Arns quer correr por fora.

 

Jorge Bernardi

Vice-Reitor do Centro Universitário Internacional, professor de Gestão Pública, já teve mais de 60 mil alunos em todo o Brasil, onde já formou cerca de 22 mil Gestores Públicos. É doutor, mestre  e especialista em Gestão Urbana, com vários livros publicados, entre os quais: A Organização Municipal e a Política Urbana (3ª edição, 50 mil exemplares), O Processo Legislativo Brasileiro (2ª edição, 38 mil exemplares), Gestão de Serviços Públicos Municipais. Na política, foi vereador por sete vezes em Curitiba. Em 2016, foi candidato a vice-prefeito de Curitiba, na chapa de Requião Filho.

 

Juliano Murbach

Juliano Murbach tem 44 anos, graduado em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Após a formatura, em 1996, voltou para o Oeste para advogar, lecionar em faculdades de direito e ficar próximo da família. Casado e pai de três filhos, Murbach presidiu a OAB subseção Cascavel por três anos, de (2010- 2012). Em 2016, foi candidato a vice-prefeito de Cascavel na chapa com o deputado Marcio Pacheco.

 

 

Desde o início de seu mandato na Alep (Assembleia Legislativa do Paraná), o deputado Marcio Pacheco (PPL) tem atuado de forma ostensiva na regularização fundiária do Reassentamento São Francisco, em Cascavel. Ontem (20) ele esteve reunido com o presidente da Copel, Jonel Iurk, para tratar da regularização fundiária dos lotes de aproximadamente 250 famílias de pequenos agricultores que vivem no local.

Leia mais: https://bit.ly/2K6Y8Bx

Elas aguardam o título definitivo de suas terras há 23 anos, quando foram realocadas de seus municípios de origem por conta a formação da barragem da Usina Hidrelétrica José Richa (Salto Caxias), da Copel, entre os municípios de Boa Vista da Aparecida e Capitão Leônidas Marques.

“O encontro foi muito produtivo e o presidente da Copel se mostrou bastante receptivo ao nosso pedido em favor da regularização dos terrenos do reassentamento. Por isso, queremos somar esforços com o órgão e resolver essa pendência que se arrasta por muito tempo”, afirma Pacheco.

Jonel Iurk se comprometeu em acelerar o pedido e uma solução junto a área técnica encarregada pela regularização fundiária no Estado. O presidente também se comprometeu a enviar uma resposta oficial ao parlamentar sobre as ações internas visando a conclusão dos trabalhos.

O processo está na etapa final do programa de regularização da Copel antes da entrega definitiva dos títulos às famílias. Pacheco não tem medido esforços para cobrar celeridade no processo por parte da Copel e de outros órgãos governamentais envolvidos, como é o caso do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

No Incra, por exemplo, o trabalho de regularização avançou com as ações de georreferenciamento e a subdivisão dos lotes, restando agora a autorização do órgão federal para que o Registro de Imóveis possa abrir matrícula das áreas menores que dois hectares.

O reassentamento São Francisco é um dos três criados pela Copel em 1995, em Cascavel, para abrigar as famílias atingidas pela formação da barragem da Usina de Salto Caxias. Desde então cerca de 250 famílias lutam pelo reconhecimento de suas propriedades.

A Copel ficou responsável pelo processo de transferência e assentamento das famílias. A transferência oficial da propriedade dos imóveis da Copel para os reassentados estava prevista no termo de acordo firmado à época.

Porém, os pequenos agricultores reclamam da demora no processo de regularização fundiária das áreas, ocasionado problemas. Por exemplo, a falta de acesso a linhas de créditos ou programas oficiais.

“Mesmo morando há muito tempo nas propriedades, os agricultores ainda não têm segurança por não dispor da titulação definitiva de seus terrenos. Por isso, não podemos deixar que um grupo de pessoas que trabalha para o crescimento de nosso município passe por dificuldades em razão da burocracia e do descaso”, afirma Pacheco.

O Reassentamento São Francisco está localizado na BR-369, a 14 quilômetros do Trevo Cataratas. O local tem uma boa infraestrutura com escolas de ensino fundamental e médio, áreas de convívio e unidade de saúde. A área também se destaca pela produção agropecuária, em especial a de leite.

Com as participações do pré-candidato a Presidente da República, João Goulart Filho e os pré-candidatos ao governo do Estado, Osmar Dias (PDT) e Ratinho Júnior (PSD), o PPL (Partido Pátria Livre) realizou no último sábado (19) na Univel, em Cascavel, encontro estadual para divulgar os pré-candidatos do partido para deputado federal e deputado estadual nas eleições 2018. O presidente estadual do PPL, deputado Marcio Pacheco, classifica o evento com um sucesso.

“Sem dúvida, saímos desse encontro estadual com o sentimento de dever cumprido e muito mais fortes para as eleições deste ano com os nossos pré-candidatos que irão enfrentar as urnas neste ano”, afirma Pacheco, que cumpre o seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Paraná.

Para ele, o evento foi um momento de congratulação e de fortalecimento da união do partido, que começa a se organizar para estruturar as chapas proporcionais para deputados estaduais e federais, bem como discutir sobre as pré-candidaturas a governo e senado.

Pacheco não tem dúvida que os militantes e os pré-candidatos do PPL saíram “fortalecidos e renovados em esperança de que é possível fazer uma política diferente e um Brasil melhor com propostas sólidas”.

Por fim, o líder do PPL agradeceu a presença do pré-candidato à Presidência da República, João Goulart Filho e também dos pré-candidatos a governador Osmar Dias e Ratinho Junior, assim como os pré-candidatos a deputado federal e estadual e das centenas de lideranças que vieram de todo Estado para prestigiar o evento, que reuniu mais de 150 pessoas de diversas regiões do Estado.

João Goulart Filho

Após a apresentação do deputado Pacheco, o primeiro discurso foi feito pelo pré-candidato a Presidente da República pelo PPL, João Goulart Filho, que é filho do ex-presidente João Goulart desposto pelo golpe militar em 1964.João Goulart Filho disputa pela primeira vez à Presidência da República.

Durante o seu discurso inflamado aos militantes, ele tratou desde os caminhos para o fortalecimento da economia, o processo de privatização até o atual momento político nacional. “Vivemos um momento de grave crise política, econômica e moral, onde o País sofre com a miséria, a desindustrialização, a devastação dos serviços públicos, a insegurança pública e o mais lastimável espetáculo de decadência moral”, afirma.

Ele conclamou a militância do PPL para “servirem de mensageiros das mudanças que o País precisa”. O pré-candidato à Presidência também fez sérias críticas ao sistema de pagamento da dívida pública, a qual, segundo ele, consome bilhões de reais mensais só para atender aos interesses do sistema financeiro.

Por fim, João Goulart Filho agradeceu ao PPL por ter aberto, no ano passado, as portas depois que deixou o PDT, onde estava filiado há 37 anos. “O programa do Partido Pátria Livre me trouxe a esperança de lutar pelas reformas e pelo legado do meu pai quando era presidente da República”.

Osmar Dias

O pré-candidato ao governo do Estado, Osmar Dias, foi o segundo convidado a discursar. Durante a sua fala, o líder do PDT voltou a reafirmar que é “candidatíssimo” ao governo e se posicionou como oposição as duas pré-candidaturas da atual governadora Cida Borghetti (PP) e Ratinho Junior.

Para Osmar Dias, as pré-candidaturas de Cida e Ratinho representam a continuidade do governo Beto Richa, mergulhado em escândalos de corrupção.

Osmar dias. O pedetista pediu apoio do PPL para o arco de alianças que o PDT está construído em torno da sua pré-candidatura a governador.

“Eu quero ter apoio do PPL, que espelha a política moderna e joga na lata de lixo esse modelo vigente, o qual se baseia no loteamento do Estado. Por isso, eu digo para quem quer me apoiar não venha me pedir para lotear o governo”, avisou.

Osmar Dias agradeceu ao convite do deputado Pacheco e elogiou a iniciativa do líder do PPL. “O deputado Pacheco é um nome limpo para voos mais altos na política, pois tem muito futuro. Se fosse para escolher um perfil de deputado na Assembleia Legislativa, esse perfil é do Marcio Pacheco”, finalizou.

Ratinho Junior

O terceiro convidado a discursar foi o pré-candidato ao governo Ratinho Junior, que também agradeceu ao convite do deputado Pacheco e pediu apoio do PPL em sua caminhada ao Palácio do Iguaçu. Em seu discurso curto, Ratinho Junior enfatizou a necessidade de romper com o atual sistema político, o qual, segundo ele, está falido.

Ele também reafirmou como sua principal bandeira a diminuição do Estado. “Quanto melhor o Estado se meter na vida das pessoas, melhor”. A pré-candidata Cida Borghetti desistiu de participar do evento, alegando mau tempo para seguir viagem de avião de Curitiba para Cascavel.