Tag

Brisola

Exibindo

A noite de ontem 12/12 foi marco de verdadeiras mudanças na política paranaense. Com a presença de lideranças do Partido Democrático Trabalhista, em um evento que reuniu cerca de 400 pessoas, o deputado estadual Marcio Pacheco anunciou sua decisão por filiação no PDT 12.

        O ingresso de Pacheco no PDT é um marco de destacada importância na história do partido, que vive um momento de mudanças estruturais. “O deputado Pacheco terá um papel fundamental nesse novo modelo que vamos implantar no Paraná e que será modelo para o Brasil. Temos o compromisso do Diretório Nacional do PDT com esse novo momento no Paraná e com nossa participação nos grandes debates do País”, disse o Presidente Estadual do partido, André Menegotto.

Ex-deputado Federal constituinte, Nelton Friedrich falou da importância de oxigenar as estruturas do PDT com gente nova e competente. Para Friedrich, Pacheco será muito importante na reformulação do partido. Queremos um Brasil não apenas como simples exportador de matéria-prima, mas que passe a ser uma potência mundial, fazendo o beneficiamento de minérios aqui mesmo, fortalecendo a indústria nacional possibilitando um país melhor para os brasileiros. 

O Presidente do PDT de Cascavel, Cláudio Bodanese, de maneira bem objetiva, declarou reconhecer em Pacheco o perfil dedicado e altruísta que o partido precisa para um projeto municipalista, visando 2020. 

O suplente do Senador Flávio Arns, o cascavelense Vilson Basso, em um discurso forte, declarou sua admiração pela horizontalidade da postura de Pacheco. “Durante a última campanha, circulamos pelo Estado todo. Convivi com Pacheco e percebi seu comprometimento com as causas coletivas e o bem maior da população do Paraná”. 

Pacheco falou por cerca de 12 minutos e disse que está muito feliz por com esse novo momento da sua vida. Disse que depois de 7 anos no PPL, o ingresso no PDT marca o início de novos tempos na sua trajetória política. No PPL, Pacheco foi eleito vereador, Presidente da Câmara de Cascavel, deputado Estadual e tornou-se presidente estadual da sigla. Viu-se agora forçado a deixar o Partido por ocasião da não superação da cláusula de desempenho e consequente incorporação ao PCdoB. “Após muita reflexão, oração e conselhos de amigos, venho para o PDT com grande alegria e uma expectativa muito positiva. Tive a honra de ser convidado pessoalmente e acolhido pelos Presidentes dos diretórios nacional, estadual e municipal. Essa demonstração de respeito e aval de todos os dirigentes do PDT para contribuir com a coordenação da reestruturação do Partido na Região Oeste e também ajudar em todo Estado foi fundamental para essa decisão”, frisou Pacheco sobre a conjuntura partidária.

Pacheco ainda discorreu sobre seu ótimo relacionamento com os Deputados Estaduais eleitos pelo PDT, Nelson Luersen e Goura, bem como com o ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, que foi eleito Deputado Federal em 2018 e é a maior referência do Partido no Estado, sendo por isso o mais indicado para assumir a presidência da sigla em âmbito estadual.

Sobre o próximo pleito municipal em 2020, Pacheco afirmou que a decisão está “Longe de Pretensões pessoais. Nunca foi e nunca será uma inciativa com foco pessoal. Mas se eu sentir no meu coração que essa é uma vontade de Deus na minha vida e eu sentir que há de fato um desejo dos cascavelenses, eu estarei à disposição para ser candidato e para servir a nossa cidade”. E conclamou: “Vamos juntos, construir uma linda história, com coisas bonitas pra contar em Cascavel e onde mais Deus nos levar”.

        Antes do evento, em entrevistas de rádio, ao ser questionado sobre sua filiação ao PDT e se isso significa uma aproximação com Edgar Bueno, Pacheco foi categórico em negar a caminhar com o ex-prefeito. “A possibilidade de alinhamento com o Edgar Bueno para as eleições de 2020 é zero. Temos grupos e posturas políticas inconciliáveis”.

Também estiveram presentes os vereadores de Cascavel, Fernando Hallberg e Serginho Ribeiro. Por vídeo, os presentes puderam acompanhar as falas do ex-prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e dos deputados Goura e Nelson Luersen.

O PDT

O partido que disputou a última eleição presidencial, tendo Ciro Gomes como candidato e viu Osmar Dias abandonar, na última hora a disputa pela cadeira no Palácio Iguaçu, independente dos reveses cresceu – e muito; foi o segundo Partido que mais cresceu em representatividade no Congresso Nacional: o PDT contará com 28 Deputados Federais, atualmente são 21. Na Assembleia Legislativa do Paraná o PDT ocupará 3 cadeiras na próxima legislatura, atualmente apenas uma.

 

Mais fotos no FlickR